Estereótipos à parte, todo mundo está tentando achar “cabelo em ovo”. Podemos até resumir em dois tópicos bem abrangentes, onde os mais informados podem fazer suas reflexões e considerações:

1º – Quando falamos em governo, falamos de pessoas, bem como, quando falamos de partidos também falamos de pessoas. Todas as pessoas tem metas e objetivos pessoais e profissionais diferentes umas das outras. Quando um jogador joga mal, o time todo sai perdendo. Independente do time os mau jogadores são substituídos por novos jogadores, melhor treinados, com melhor preparo físico e mais dispostos a mostrar seu trabalho. Isso só reforça a necessidade de se fazer ajustes e tomar providência AGORA e tirar de campo TODOS que não contribuem para o crescimento do país, INDEPENDENTE DO PARTIDO QUE FOR.

2º – O que poucas pessoas sabem é que para ser candidato a algum cargo político é PRIMEIRO PRECISO FILIAR-SE A UM PARTIDO POLÍTICO. Depois o “partido”, digo, as pessoas que fazem parte da diretoria do partido e demais filiados decidem QUEM tem mais chances de concorrer para poder se eleger, independente do preparo, conhecimento, caráter e outras qualidades dessa pessoa. O fato é que QUALQUER UM com chances de ser eleito pelo povo é posto como candidato, o único pré requisito é ser conhecido e se for FAMOSO então, nem se fala.

 

Brasil Pátria Educadora